Veja minha partipação no Jornal da Gazeta

June 26, 2015 |

Televisão

O Teatro Nô e o Kyoguen, duas formas teatrais japonesas com mais de 700 anos de história, serão apresentadas nos dias 1º e 2 de julho, no teatro Paulo Autran do Sesc Pinheiros, em programa duplo. As apresentações fazem parte das comemorações dos 120 anos das relações diplomáticas entre Brasil e Japão. As manifestações são essencialmente opostas. Uma busca o simbolismo e a mitologia, enquanto a outra apresenta a realidade de forma burlesca. O Nô é sofisticado e erudito, mesclando canto, dança e poesia. O Kyoguen é baseado na cultura popular. Ambos fazem uso de máscaras. No palco, 14 músicos e
artistas japoneses, pertencentes a diversas escolas das duas vertentes, se revezarão para a apresentação das duas peças.
O Itaú Cultural abriu esta semana a Ocupação Vilanova Artigas, que celebra o centenário de um dos mais importantes arquitetos do Brasil. A exposição reúne projetos, maquetes, fotos, projeções, manuscritos e artigos. Ao mesmo tempo estreou o documentário “Vilanova Artigas: o arquiteto da luz”, dirigido por sua neta, Laura. O filme está nos Espaços Itaú de Cinema. E está sendo lançado um livro que comenta mais de 40 projetos de sua extensa obra, coordenado por sua filha Rosa e seu neto Marco. Uma homenagem à altura do gênio de Artigas, que deixou marcos em São Paulo, como o prédio da FAU, nas USP, o estádio do Morumbi e o edifício Louveira, em Higienópolis.
E a temporada 2015 da Cultura Artística traz à Sala São Paulo, nos dias 29 e 30, a Orquestra do festival de Budapeste que, apesar de ter pouco mais de 30 anos, já foi eleita a nona melhor do mundo, à frente de orquestras como a de Nova York e Boston. Ela vem dirigida por seu fundador, o maestro húngaro Iván Fischer, trazendo como solistas a soprano sueca Miah Perrson e o pianista georgiano Alexander Toradze. Nos dois programas, inspirados na Belle Époque, obras do húngaro Bartok, e de Richard Strauss, Mahler, Ravel, e Prokofiev. Boa Noite.