Veja minha participação no Jornal da Gazeta

August 29, 2014 |

Televisão

A trigésima primeira Bienal Internacional de São Paulo abre em prévias, a partir deste domingo. Para o público, abre no dia 6, sempre grátis, até dezembro. Pelo menos, é o que se espera. Um grupo significativo de artistas publicou um manifesto, num site internacional, depois de descobrir um patrocínio israelense à mostra, exigindo a devolução do dinheiro. Os artistas alegam que não querem suas obras legitimando a posição de Israel no recente conflito. Os curadores receberam esta tarde um representante dos descontentes. E, numa carta resposta sugerem que, para as próximas edições, patrocínios internacionais, a qualquer mostra, devam ser discutidos com antecedência. Só isso. Acho que podemos esperar mais algum tipo de manifestação. E não será a primeira numa Bienal. Mas sem atrapalhar sua abertura.
Bem, o curador desta edição, o inglês Charles Esche, armou um time de curadores de várias nacionalidades, na intenção de ser abrangente. E procurou estimular projetos artísticos que envolvessem mais de um artista. Dando prioridade a ideias que fossem criadas para esta Bienal. E estimulando a maioria dos artistas a trabalhar no Brasil, ou pelo menos vir, com alguma frequência, durante a elaboração da obra. No fim, teremos 81 projetos, envolvendo mais de 100 artistas e duzentas e cinquenta obras.
O tema é vasto: Como falar, aprender, viver, lutar e se relacionar com coisas que não existem. E é aberto a qualquer experiência artística. Os artistas contemporâneos não pedem outra coisa: criar com liberdade, sem nacionalidades, sem fronteiras, em conjunto com outras culturas. Experimentando, discutindo, criticando, mostrando uma arte que tem de ser lida com atenção, mais do que fruída. Esta Bienal desafia o mercado. E esta é justamente a função das Bienais, que devem refletir o que se cria, como e por que. O onde é apenas uma referência. O quanto não está em discussão. Portanto, acredito que esta será uma das mais surpreendentes Bienais. A mais sintonizada com o momento da arte. Só não posso garantir que vá
agradar…
Boa Noite.