Veja minha participação no Jornal da Gazeta

May 22, 2015 |

Televisão

A aguardada exposição “Joan Miró, A força da Matéria”, será aberta domingo para o público no Instituto Tomie Ohtake. São 41 pinturas, 22 esculturas, 20 desenhos, 26 gravuras e 3 objetos, além de fotos, que registram a trajetória do pintor catalão, um dos grandes mestres da arte do século 20. As peças pertencem à Fundação Joan Miró, de Barcelona, e a coleções particulares. De São Paulo, onde fica até agosto, a mostra segue para Florianópolis.
Baseado no filme “8 e meio”, de Fellini, a montagem “Nine – Um Musical Felliniano” faz sua estreia na capital paulista, amanhã, no novo Teatro Porto Seguro. No elenco, Beatriz Segall, Mayana Moura e Totia Meireles, entre muitos outros. A peça é dirigida por Charles Möeller e Claudio Botelho e, como o filme, conta a história de um diretor de cinema, em crise criativa.
No Anhembi, amanhã e depois, Luís Carlos Miele e João Marcello Bôscoli apresentam o espetáculo que comemora os 70 Anos de Elis Regina. Em formato especial, os dois vão contando histórias da cantora, enquanto alguns dos compositores que ela gravou interpretam canções. Confirmados, Renato Teixeira e João Bosco. A produção ainda traz uma exposição de fotos e um vídeo inédito de Elis, parte de um documentário com estreia prevista para o segundo semestre.
E quem passa em frente à construção do novo Instituto Moreira Salles, na Avenida Paulista, já consegue perceber as estruturas de aço ultrapassando o tapume. A estrutura será recoberta de vidro no final. O projeto é do escritório de arquitetura Andrade Morettin, e a inauguração está prevista para 2017. A obra está sendo documentada pelo fotógrafo alemão Michael Wesely, que já fez o mesmo com a Potsdamer Platz, em Berlim, e a ampliação do MoMA de Nova York. Suas câmeras estão voltadas para a construção, tirando fotos dos vários estágios. Depois ele as monta como um filme.
Boa Noite.





Veja minha participação no Jornal da Gazeta

May 15, 2015 |

Televisão

O Instituto de arte Contemporânea, IAC, está apresentando desde ontem, no MuBA, museu da Escola de Belas Artes de São Paulo, uma mostra sobre o concretismo de Judith Lauand, focada em sua obra dos anos 50. São mais de uma centena de trabalhos, escolhidos pelo curador Celso Fioravante em 22 coleções públicas e privadas de Rio e São Paulo. Vão desde cadernos de rascunho a desenhos rigorosos, xilogravuras e pinturas. O interessante é que Judith formou-se na Escola de Belas Artes, que ocupava então o prédio onde hoje está a Pinacoteca do Estado. Desde 1952, depois de uma mostra no Museu De Arte Moderna, ela ficou conhecida como a dama do concretismo, um grupo artístico essencialmente masculino.
Na OCA, no Ibirapuera, será aberta amanhã a exposição “Reverta”. Nela, vinte artistas usam materiais reciclados do lixo para criar obras de arte. A curadoria é de Marcio Debellian e Paulo Mendel. E dentre os artistas participantes estão as craques Jac Leirner e Lenora de Barros.
Na música erudita, o regente francês Stéphane Denève assume o comando da Osesp por duas semanas. Hoje e amanhã, na Sala São Paulo, o programa contará com a “Sinfonia Fantástica”, de Berlioz, e trilhas sonoras de filmes como Contatos Imediatos, composta por John Williams, e Um Corpo que Cai, criada por Bernard Hermann.
E dois destaques na música popular: será inaugurada amanhã, no Itaú Cultural, na Avenida Paulista, a “Ocupação Dona Ivone Lara”, dedicada à vida e obra da sambista que, com mais de 90 anos, ainda segue presente na história musical do País. São centenas de imagens, vídeos, músicas, figurinos, cavaquinhos e outros instrumentos, que documentam a trajetória da artista. Também amanhã, no Citibank Hall, quem se apresenta é o multitalentoso Zeca Baleiro, com o show “Chão de Giz”, cantando músicas de Zé Ramalho.
Boa noite.