Veja minha participação no Jornal da Gazeta

February 27, 2015 |

Televisão

O carnaval passou, e o ano começa apressado nas Artes Visuais. Muitas galerias escolheram estes dias para abrir as primeiras mostras de 2015. A lista é grande. A Central Galeria abriu na quarta-feira mostra de Nino Cais, que reúne instalações, fotografias, vídeos, colagens, esculturas e vestimentas. A mostra ocupa todos os espaços da galeria e escancara a versatilidade do artista.
No sábado abrem três mostras de artistas de renome. A Galeria Luisa Strina inaugura a do argentino Matias Duville, que também participa de uma coletiva no CCBB e em março abre uma individual no MAM do Rio. Ele traz cinco desenhos de grande escala e três peças montadas no chão da galeria, explorando a relação entre ciência e natureza. A Galeria Nara Roesler apresenta a nova produção de Fabio Miguez, um dos expoentes da geração 80. São telas que exibem elementos geométricos e escritas inspiradas em João Cabral de Melo Neto. A terceira exposição é de Luiz Zerbini, no Galpão da Galeria Fortes Vilaça. Zerbini apresenta uma instalação e oito pinturas em que revisita a justaposição entre figuração e geometria, natureza e arquitetura.
Antonio Henrique Amaral expõe um conjunto de 42 desenhos, a partir de terça feira na galeria Bolsa de Arte. São obras dos últimos 20 anos, e portanto recentes em sua longa jornada artística. A maioria em pequenas dimensões. E uma mostra diferente é a que apresenta o Museu Brasileiro da Escultura: uma homenagem à vida e obra do poeta, escritor, radialista, compositor e ator Mário Lago. Entre os destaques, gravações de poemas musicados de Lago nas vozes de Frejat, Lenine, Arnaldo Antunes e outros.
Finalmente, um fato a festejar: a mostra de Ron Mueck na Pinacoteca do Estado, que fechou no domingo, bateu todos os recordes. Recebeu em três meses mais de 400 mil pessoas. Bem mais do que na Fondation Cartier de Paris, no MAM do Rio e na Fondacion Proa de Buenos Aires.
Boa Noite.